ARQUIVENTO

BONS VENTOS A TODOS!!!

terça-feira, 3 de setembro de 2013
                                                                                           Queda-te para o alto
e me encontra nas asas das folhas ...


Lamentável ausência
da lista do horto pessoal
entre raízes, risos e rosas
especiárias de Vênus enigmática
em tempos ensossos de elegância,
gentileza e simplicidade...
formas catadas no impossível
simetricamente calculadas
na cidade do corpo descalço
cercada de espadas e cores

Nada esvai das minhas retinas
veias misturando o vermelho-amarelo
feitas de sensações cuidadosas
sutis insígnias aflitas na calmaria
de descobertas jamais vividas

Intenções luminosas
no segredo das chaves
abrindo janelas
apagadas ao luar de agosto
por um som inaudível
um lugar invisível
num quando eterno
de deixar-se Ser

Desgarrados na culminância
da acessibilidade simples
do enredo forte do desejo
dominado por inventivas
carregadas de fantasmas e culpas,
memórias e traumas
de inocentes controvérsias

Facas cegas
desgastadas pela vida
em monólogos interiores
feitos de perguntas sem respostas

Debaixo do guarda chuva
há sombra do sol insiste
na intolerância do dia-a-dia
porque se sabe feliz
diante das dificuldades e espera...
no porto das expectativas
horizontes filosóficos
mastigam as horas insanas
de tantos paradoxos singulares
regados no quintal

O vento sopra das gavetas
as palavras guardadas:
palavrões, palavruras,
palavrórios, pá, lavras
giram no primoroso cata-vento
fincado no meio do jardim
numa troca prometida sobre o papel
de poemas e desenhos
sobre a travessia das pedras
cravadas no chão
criando travessuras e madurezas
crendo nas sementes soterradas
no respeito daquilo que brotou...

na pele-parede
reveste-se o corpo da casa
a continuidade na ruptura
intimidade na distância
da silenciosa saudade
da muda plantada
na sombra de um dia frondoso
folhas costuradas no solo
onde ainda há... árvores sonhadas
acariciadas pelo brisa da generosidade,
gratidão e perdão por sermos imperfeitos
diante da possibilidade de tanta beleza