ARQUIVENTO

BONS VENTOS A TODOS!!!

sábado, 19 de setembro de 2015


Há indecisão nas palavras
flutuam no céu da boca
mastigam-se num silêncio audaz


Semeadura de lavas
escorre temente e pouca
na terra não se refaz

o significado não crava
a poesia fica rouca
fugindo de tanta paz

tudo o que se ensaiava
é estrofe de vida louca
sem poder voltar atrás

insensato o verso cava
da folha branca e oca
o sentido que aqui jaz


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

O vento empurrando as asas
as folhas correndo pelo chão
a pele seca a espera de chuvas
a liberdade plainando sem direção
sem portas e janelas as casas
sem braços, as mãos
os cachos cobertos de uvas
o corpo sem precisar do pão

livres todas as palavras
sílabas sem vogais
a língua voando de boca em boca
versos feitos em lavras
gritos mudos de ais
e a loucura nem muito nem pouca
as velas sem castiçais

o sopro acendendo as fogueiras
o fogo queimando o ar
a água lavando as sementes
da terra inda sem germinar

pontos e vírgulas pra  mediocridade
sobre anil do papel apagado
consultas plurais com singularidade
o poema caminhando azulado
sobre os tons  da livrerdade
quebra as correntes, o cadeado
...nasce esvoaçante a verdade
em  um sistema  escravizado