ARQUIVENTO

BONS VENTOS A TODOS!!!

terça-feira, 22 de maio de 2012



Divinéia - Oi, Matilde! Sabia que o amor entrou em coma?
Matilde -  Sim, mas ele ainda respira.
Divinéia - Mantem-se vivo, através de um balão de perfumes à distância.
Matilde -  E continuará assim, para não identificar as flores do mal, que exalam essa fragrância.
Divinéia - Sigamos nos rastros literários da poeira poética, derramada sobre nós.
Matilde - Estou grudada nessa mesa, não consigo sair daqui ( acho que... nem sei se quero), nem receber ninguém.
Divinéia - Eu tenho poderes, Matilde, eu realizo desejos.
Matilde - Então me transforma em texto, em personagem, em livro, onde a paisagem seja uma estrada - em que me perca, pra me encontrar.
Divinéia - Mas vai abandonar sua mesa, seus livros, sua caverna?
Matilde -  Sigo as sombras, nesse marasmo...a quietude do pensar, abarulhenta minhas vontades.
Divinéia - Te ofereço o vento no rosto, Matilde, e a liberdade sem fronteiras...
Matilde - Continuemos, Divinéia, faça-nos bucaneiras em versos-livres...