ARQUIVENTO

BONS VENTOS A TODOS!!!

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Patricia Amorim


Tua pele minha
apelou atropelou
desencaminhada
descaramelada
descamou

Minha pele tua
dorme sozinha
de toda pele
sobrou nadinha
fragrância de tez flagrada

no cheiro do sono
de pele roçada
podia entre nós um carbono
pra ficar nossa pele
pelo abandono desenhada

deixar nosso poema impresso
marcado de inconstância
todinho verso por verso
da poesia espalhada
manchada pelos lençóis

Tinha palavra e pedra
no meio do caminho controverso
apelo da travessia: Nonada.
...Ficou Pele sobre pele
na lavra de lavas em nós.